Voltar a As nossas histórias
3 minutos de leitura
Todos sabemos como é fácil deixar uma banana amadurecer demais ou um pedaço de pão endurecer, ou simplesmente não chegar a comer as sobras de comida que guardamos cuidadosamente no frigorífico.

Por isso, todos compreendemos o problema a nível pessoal. O que é mais difícil de entender é o contributo do nosso desperdício individual. 

Cerca de um terço dos alimentos produzidos no mundo anualmente, para consumo humano - aproximadamente 1,3 mil milhões de toneladas - é perdido ou desperdiçado. 

 

1/3 dos alimentos produzidos no mundo para consumo humano são desperdiçados!

Nos países em desenvolvimento, esses resíduos podem frequentemente ter origem em problemas no processo de produção ou na falta de instalações de armazenagem. 

Nos países desenvolvidos, o problema está no final da cadeia de abastecimento, o problema somos nós. Deitamos fora cerca de 30% de todos os alimentos que compramos. 

Todos os anos, os consumidores dos países desenvolvidos desperdiçam quase a mesma quantidade de alimentos (222 milhões de toneladas) que toda a produção de alimentos da África Subsariana (230 milhões de toneladas). 

Dica: Coloque o alimento mais recente o mais atrás possível dentro do frigorífico para comer os alimentos mais antigos em primeiro lugar.

O custo é impressionante. A água desperdiçada a efectuar cultivos, os fertilizantes e combustíveis utilizados na produção e transporte e os gases com efeito de estufa libertados quando os alimentos apodrecem em aterros. E isto é antes de se considerar o dinheiro que desperdiçamos com os alimentos que não consumimos. 

Apresentamos 10 formas para ajudar a resolver o problema:

1. Planeie as suas compras 

Parece simples (e, de certa forma, é), mas isto é uma das coisas mais importantes que pode fazer. Quando for comprar alimentos, não compre para além do necessário.

 

Planeie as suas refeições da semana e faça uma lista de compras pormenorizada com os ingredientes de que vai precisar. Siga essa lista.

2. Conheça o seu congelador 

Seja para guardar alimentos ou sobras de comida, o congelador pode ajudar a cortar no desperdício alimentar. Congele o excesso de frutas e legumes da época, congele o pão e outros alimentos que pode consumir mais tarde. 

Prepare e cozinhe produtos perecíveis, a seguir congele para utilização posterior.

3. Aprenda sobre as datas de validade 

Desenvolvemos um hábito que leva ao desperdício, que é tratar as datas de validade como a data para deitar fora a comida que não foi consumida. Mesmo o prazo de validade e o “consumir de preferência até” não são imutáveis. 

 

O United States Department of Agriculture Food Safety and Inspection Service diz que com exceção das fórmulas para lactentes, se passar a data indicada durante a armazenagem em casa, um produto ainda deve ser seguro e são se for manuseado adequadamente até ser evidente o tempo de deterioração. Este departamento afirma que "os alimentos estragados vão desenvolver um odor, sabor ou textura estranhos devidos a bactérias de deterioração de ocorrência natural. Se um alimento tiver desenvolvido essas características de deterioração, não deve ser consumido. Saiba mais sobre a segurança alimentar.

4. Armazene os alimentos no lugar certo 

Manter os alimentos à temperatura correta pode aumentar muito a sua vida útil. Heart.org explica onde colocar os seus frutos e legumes para os fazer durar mais tempo. 

Uma vez compreendido quais os alimentos que precisam de ir para o frigorífico, saiba qual o melhor sítio do frigorífico para os colocar. Mais uma vez isto vai ajudar a prolongar o prazo de validade dos alimentos frescos.

5. Cozinhe mais do que uma refeição de cada vez 

Preparar várias refeições de uma só vez poupa energia, água e tempo.

 

Ter refeições preparadas à sua espera no congelador também reduz a tentação de recorrer a comida de compra já preparada ou não planeada.

6. Controlo da porção

Por muito aborrecido que isto soe, é uma medida muito importante. Ao controlar a quantidade de comida que coloca no prato, não só limita o número de calorias que está a consumir, como também está a limitar a quantidade comida que vai acabar no caixote do lixo. 

Comece com uma dose pequena e repita se quiser.

7. Saiba o que tem no frigorífico 

Quantas caixas com sobras de comida bem intencionadas se escondem atrás umas das outras para serem redescobertas só quando estão muito além das suas melhores condições?

 

Um frigorífico arrumado significa que pode ver o que precisa de ser comido dentro de pouco tempo e quais os alimentos que não precisa de comprar. Certifique-se também que coloca os novos alimentos na parte de trás para que coma em primeiro lugar os mais antigos.

8. Doar a bancos alimentares 

Se acha que tem muitos alimentos, pense em doar a alguém que necessite. Pode ser um vizinho, um familiar ou um banco alimentar local. Alimentos nutritivos, seguros e intactos podem ser uma grande ajuda para quem necessita.

9. Faça compostagem com sobras de alimentos 

Em vez de deitar comida para o lixo, faça compostagem. Desta forma, vai transformá-la em fertilizantes ricos em nutrientes em vez de apodrecer num aterro. 

 

Mas a compostagem deve ser um último recurso. A Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos da América tem uma hierarquia de recuperação de alimentos sobre como usamos os nossos alimentos, afirmando que primeiro devemos reduzir o desperdício que criamos, depois doar alimentos, tentar alimentar os animais, usar os resíduos para energia industrial e depois a compostagem.

10. Acompanhe os seus resíduos 

Para ajudar a reduzir o desperdício alimentar, mantenha um registo do que está a deitar fora semanalmente. Vai ficar surpreendido com a quantidade e pode identificar padrões de excesso de compras. 

No fim vai poupar dinheiro e ajudar na luta contra o desperdício alimentar.