Resultados da Nestlé S.A. 2013: crescimento orgânico de 4,6%, lucro operacional acima dos 20 pontos base e 40 pontos base a câmbios constantes

VoltarVevey, Suíça,Fev 13, 2014

Resultados da Nestlé S.A. 2013: crescimento orgânico de 4,6%, lucro operacional acima dos 20 pontos base e 40 pontos base a câmbios constantes

• Vendas de CHF 92,2 mil milhões + 2,7%
• Crescimento orgânico de 4,6% e crescimento interno de 3,1%
• Resultados operacionais acima dos 20 pontos base para 15,2% e acima dos 40 pontos base a câmbios constantes
• Benefício recorrente por ação de 11.0% a câmbios constantes
• Forte operação de cash-flow de CHF 15.0 mil milhões
• Proposta de aumento de dividendos para CHF 2,15 por ação

Paul Bulcke, CEO da Nestlé, S.A.: “O ambiente macro em 2013 foi de crescimento lento, mínimo no mundo desenvolvido e abaixo dos níveis recentemente verificados nos mercados emergentes. A nossa resposta foi o aumento do apoio às marcas, a aceleração da inovação e assegurar que o nosso pricing estava de acordo com as necessidades dos consumidores. Esta estratégia deu ímpeto ao nosso crescimento real interno, que, juntamente com as eficiências geradas e o controlo dos custos estruturais, contribuiu para uma melhoria da nossa margem e para um forte cash flow. Intensificámos também a gestão do nosso portefólio, o que resultou em alguns encargos em 2013, mas assegurou que estamos a alocaras nossas pessoas e os nossos recursos às melhores oportunidades.

A direção da nossa estratégia de longo prazo é a de sermos líderes em Nutrição, Saúde e Bem-Estar. Reforçámos esta estratégia com a criação do Nestlé Health Science e estamos a estender essa estratégia ao campo da especialização médica na área dos tratamentos de pele, criando a Nestlé Skin Health, SA.

O último ano foi desafiante e 2014 sê-lo-á também, provavelmente. Continuaremos a ser disciplinados na condução da nossa performance em linha com o modelo Nestlé de crescimento rentável e eficiência de recursos. Espero, assim, que o nosso desempenho em 2014 seja similar ao do ano anterior e novamente reforçado na segunda metade do ano, crescendo acima do mercado, com um crescimento de cerca de 5% e melhorias nas nossas margens, com ganhos subjacentes por ação a câmbios constantes e com eficiência de capital”.

Resultados do Grupo

Em 2013 a Nestlé, SA registou um aumento de vendas de 2,7% para CHF 92,2 mil milhões, impactado de forma negativa pelas taxas de câmbio de 3,7%. O crescimento orgânico foi de 4,6%, composto de 3,1% de crescimento real interno e 1,5% de pricing. As aquisições, líquidas de desinvestimentos, acrescentaram 1,8% às vendas.
A Zona Europa registou vendas de CHF 15,6 mil milhões, 0,8% de crescimento orgânico, 2,2% de crescimento real interno e 15,0% de margem de lucro operacional, menos 40 pontos base.
A Zona teve um desempenho acima do mercado com um crescimento positivo num ambiente de não-crescimento. O pricing negativo refletiu o nosso compromisso de transferência da baixa de preços das matérias-primas para o consumidor, mantendo a nossa competitividade face à constante pressão deflacionária.
A inovação e a aposta em plataformas estratégicas de gama premium sustentaram o nosso crescimento sendo Nescafé Dolce Gusto e Confeitaria, os principais contribuintes. Crescimento nos gelados na Rússia e em França, assim como na marca Mövenpick, compensado com um ligeiro crescimento nesta categoria nos restantes mercados. As pizzas congeladas, Wagner e Buitoni, aceleraram ao longo do ano. Nescafé Gold registou um crescimento a dois dígitos na Rússia e noutros mercados da Europa de Leste. Kit Kat foi outro dos destaques, novamente na Rússia e na região do Reino Unido. Nesquik teve um forte desempenho em todos os mercados. Petcare teve um excelente ano em toda a Zona Europa produzindo um crescimento impar de dois dígitos. Felix, Proplan, Purina ONE e Gourmet estiveram entre os principais drivers.
Na Europa Ocidental, destacam-se a região da Grã-Bretanha, Suíça, Holanda, Bélgica e Áustria. Na europa do Sul, continua a viver-se um clima de baixa confiança por parte do consumidor.
Na Europa Central e de Leste, o mercado da Rússia destacou-se. Esta região teve um crescimento interno real forte, apesar daas condições económicas difíceis e da intensa competição de preços.
A margem operacional desceu 40 pontos básicos, situando-se em 15%, refletindo os custos de reestruturação e aumento de investimentos de suporte às plataformas estratégicas de crescimento.

Consulte o Comunicado de Imprensa integral em www.nestle.com