Voltar a As nossas histórias
3 minutos de leitura
Todos queremos disfrutar de comida que sabe bem. Pergunte a qualquer americano qual é a sua comida favorita, as probabilidades são que responda alguma coisa deliciosa ... mas não necessariamente saudável.

A pizza, por exemplo, é um dos alimentos favoritos da América - de acordo com alguns estudos, os americanos comem 3 mil milhões de pizzas por ano. Isso são 350 fatias de pizza por segundo! 

Mas a pizza pode ser mais saudável? E se sim, como?

Muitas empresas de pizzas estão certamente a tentar, mas mexer nos ingredientes de um produto favorito estabelecido é um jogo arriscado, e não apenas porque compromete o sabor que muitas pessoas já conhecem e adoram. Todos os alimentos e ingredientes alimentares seguem regulamentações estritas, mas também há certos alimentos que têm de seguir normas de identidade.

Os americanos comem 3 mil milhões de pizzas por ano. Isso são 350 fatias de pizza por segundo!

As normas de identidade são essencialmente receitas da US Food and Drug Administration (FDA) ou do US Department of Agriculture (USDA) para uma enorme variedade de alimentos. Estas normas foram criadas nos anos 1930 como uma maneira assegurar às pessoas que o alimento que compravam era realmente o que dizia ser. Lembre-se de que esta foi uma época décadas antes das regras de rotulagem de ingredientes e informação nutricional que conhecemos hoje. 

 

Voltemos então à pizza. Como todos sabemos, a maioria das pizzas tem queijo por cima - um alimento que precisa de cumprir uma norma de identidade. Diferentes tipos de queijo têm normas diferentes. Para rotular o seu produto como contendo esse tipo de queijo, tem de garantir que cumpre os parâmetros estabelecidos na respectiva norma.

A pizza pode ser tornada mais saudável — mas manter a integridade também é vital

Por que é que isso complica a questão de fazer uma pizza mais saudável? Bem, a redução de sal e gordura de pizza globalmente significa reduzir os elementos de cada ingrediente da base. Para reduzir a gordura, pode olhar para a cobertura de queijo e decidir reduzir a quantidade de gordura nessa parte da pizza. Se é isso que decide, tem que garantir que não vai longe demais. 

A gordura é uma parte natural do leite e portanto do queijo. Remover gordura demais do queijo significa que o alimento já não corresponde às normas de identidade, que muitas vezes exigem uma quantidade mínima de gordura do leite. Então, a sua pizza de queijo de repente exigiria uma listagem de ingredientes alterada que diz alguma coisa do tipo "produto lácteo com baixo teor de gordura" - não soa tão saboroso como queijo, pois não? 

 

Se reduziu toda a gordura que podia do queijo, então tem que procurar noutro lugar da pizza para fazer melhorias nutricionais. Talvez numa cobertura com carne, no molho da pizza ou na massa. De qualquer maneira - só pode ir até um certo ponto sem comprometer o caráter essencial do alimento. 

À medida que marcas conhecidas como DiGiorno, TombStone, Jack's e California Pizza Kitchen avançam para a remoção de sabores artificiais e a redução de sódio, há muitos inovadores nos bastidores à procura das melhores maneiras de fazer reduções sem infringir as normas ou afetar muito o sabor.

O que é uma pizza sem queijo verdadeiro?

As empresas alimentares como a Nestlé apoiou as recentes directrizes da US FDA sobre os objectivos de redução de sódio  —  e estes objetivos são ambiciosos. Ao longo de 10 anos, os cientistas dos alimentos vão precisar de encontrar soluções saudáveis para reduzir o teor de sal dos alimentos sem estragar o sabor. Por isso, todos temos em mãos um desafio excitante! 

Este é o desafio da reformulação de alimentos. Fazer verdadeiras alterações em benefício da saúde, mantendo ao mesmo tempo a integridade dos alimentos e um excelente sabor. 

Apesar de tudo, por muito que se queira que a nossa pizza seja melhor para nós, não queremos todos nós que o nosso queijo seja realmente ... queijo?