Voltar a As nossas histórias
2 minutos de leitura
É o Santo Graal do mundo da confeitaria: fazer o mesmo excelente sabor que adoramos no nosso chocolate apenas com uma pequena parte do açúcar. Bem, essa procura já não é uma fantasia.

Os cientistas descobriram uma maneira de mudar a estrutura do açúcar de modo a que se dissolva mais rapidamente na língua. Isto permite que se aperceba uma doçura quase idêntica à anterior, mas com muito menos ingrediente.

Derreter na boca

Não há edulcorantes artificiais envolvidos, nem extratos de plantas invulgares, apenas uma nova abordagem ao ingrediente doce original: açúcar. Os cientistas da Nestlé desenvolveram um processo que pode ser comparado a fazer cristais de açúcar ocos em vez de maciços.

Os investigadores encontraram uma forma diferente de estruturar o açúcar

Stefan Catsicas, Diretor de Tecnologia da Nestlé, explicou numa entrevista com a Bloomberg que a Companhia está a procurar imitar as estruturas naturais complexas encontradas nos alimentos, distribuindo o açúcar de forma mais desigual:

"Se olhar para uma maçã ao microscópio eletrónico, é exatamente isso que vê", disse ele. "Os verdadeiros alimentos na natureza não são uma coisa suave e homogénea. Estão cheios de cavidades, cristas e densidades. Por isso, reproduzindo esta variabilidade, somos capazes de restaurar a mesma sensação."

“Boa ciência”

O professor Julian Cooper, presidente do Comité Científico do Reino Unido no Instituto de Ciência e Tecnologia dos Alimentos, disse à BBC que o desenvolvimento era importante. "Isto é boa ciência. Muitas pessoas têm estado a olhar para o açúcar para tentar reduzir a quantidade."

Esta proeza tecnológica tem importantes implicações para os consumidores. Tem o potencial para ajudar a Nestlé a gerir a doçura na sua confeitaria de uma maneira completamente nova, numa época em que muitas pessoas estão interessadas em reduzir a sua ingestão de açúcar.

Isto é boa ciência. Muitas pessoas têm estado a olhar para o açúcar para tentar reduzir a quantidade Professor Julian Cooper, Presidente do Comité Científico do Reino Unido

A Nestlé está agora a patentear o novo processo e planeia começar a pô-lo em prática na confeitaria em 2018. O açúcar estruturado foi descoberto e desenvolvido por cientistas da Nestlé que trabalham nas instalações de investigação e desenvolvimento na Suíça e no Reino Unido, parte da rede de 40 unidades de I&D em todo o mundo.

Compromissos com a saúde

O trabalho vai ajudar a Companhia a cumprir o seu compromisso de reduzir o açúcar nos seus produtos. Tem vindo a reduzir no açúcar em toda a sua gama desde 2007, quando introduziu uma política global sobre a redução do açúcar. Até ao final de 2015 tinha reduzido o seu teor de açúcares adicionados em 18.000 toneladas.

A marca Nesquik de leite em pó aromatizado é um excelente exemplo de como isto está a ser concretizado ao longo do tempo. Em 2015, o açúcar adicionado ao Nesquik foi reduzido em 15% para o sabor de chocolate original e em 27% para o de morango. Agora foram anunciadas novas reduções.

39 mil toneladas
de açúcar foram eliminadas dos produtos da Nestlé desde 2007.

Nesquik Less Sugar, que tem apenas 3,4 gramas de açúcar adicionado, vai ser lançado no Reino Unido em 2017, enquanto uma versão com baixo teor de açúcar do Nesquik vai estar disponível nos Estados Unidos no ano seguinte.

A redução do açúcar adicionado faz parte de uma ampla gama de compromissos em nutrição divulgados pela Companhia, tal como a redução da quantidade de sal e de gordura saturada nos seus produtos. Ao mesmo tempo, esta está empenhada em aumentar nutrientes mais saudáveis como vitaminas, minerais e cereais integrais.