Voltar a As nossas histórias
3 minutos de leitura
"Trabalho nesta quinta desde os 16 anos. Estou agora com 55", diz Christian Boeuf em voz baixa, os seus olhos azuis-claros e sorriso grande a refletirem o orgulho silencioso em quatro décadas de trabalho árduo.

"A quinta era do meu pai. Tem sido, definitivamente, uma tradição familiar. E no futuro?" Faz uma pausa e abana a cabeça. "Não sei se a geração mais jovem continuará a mantê-la. É uma situação delicada.” 

Produtor de leite suíço Christian Boeuf ajuda a abastecer a unidade de biogás com esterco de vaca

Planear com antecedência é algo que Christian vê como uma parte fundamental do seu trabalho. E, se por um lado não tem a certeza se o seu sobrinho irá ficar com a quinta da família, por outro lado pode ter a certeza de que a terra permanece tão saudável e fértil como sempre foi. 

Por isso, quando lhe foi oferecida a oportunidade de participar num novo método para transformar o estrume do seu gado em energia natural e fertilizante, foi uma decisão fácil. 

As suas vacas simplesmente continuam a fazer o que as vacas fazem. Mas os seus resíduos agora fazem parte de um método de ponta, de geração de energia natural.

A contribuição do café 

O acordo surgiu depois da Nestlé Waters ter realizado um estudo sobre os danos potenciais que poderiam ser causados à fonte de água Henniez na Suíça. 

Com o excesso de resíduos agrícolas como uma possível fonte de poluição por amoníaco, foram feitos planos para proporcionar uma utilização alternativa. Com a colaboração do Grupo E Greenwatt, foi construída uma unidade de biogás para produzir energia renovável junto à fábrica de engarrafamento de água da Nestlé.

25.000 toneladas  
de estrume são transformadas em energia natural e fertilizante todos os anos

Anualmente, uma rede de 27 produtores de leite suíços fornece mais de 25 mil toneladas de estrume a esta fábrica. O estrume é misturado com resíduos de café das fábricas Nespresso locais antes de ser fornecido à unidade de biogás. À medida que o material se decompõe, é gerado gás natural que é então queimado para produzir eletricidade. 

Além de fornecer todo o calor necessário à fábrica de engarrafamento de água, o excesso de eletricidade gerada a partir do projeto é vendido à rede elétrica suíça. 

Desde que a unidade de biogás abriu, a unidade de Henniez viu as suas emissões de CO2 reduzidas para metade.

Contrapartida

O que resta depois do material ter sido degradado é um fertilizante muito procurado, que é orgânico e rico em nutrientes. Este é devolvido aos agricultores para utilização nas suas plantações, o que significa que têm de comprar muito menos fertilizante químico. 

O fertilizante natural é facilmente absorvido pelas plantas e produz menos emissões de amoníaco para o ambiente. Christian Boeuf descobriu que devido à qualidade orgânica do fertilizante, já não precisa de usar fungicidas nas suas plantações. 

Esta troca é neutra em termos de custos e ajuda a criar uma agricultura sustentável - recuperando nutrientes valiosos que de outra forma seriam perdidos.

O projeto já está a ter um impacto positivo. Valorizamos um fertilizante que é menos nocivo. Podemos desenvolver melhores cultivos. também significa que podemos poupar energia e gás.  Christian Boeuf, Agricultor

Christian Boeuf descreve a parceria com a Nestlé Waters como extremamente gratificante, sabendo que o estrume é utilizado para produzir energia natural. 

"O projeto já está a ter um impacto positivo. Valorizamos um fertilizante que é menos nocivo. Podemos desenvolver melhores cultivos. Também significa que podemos poupar energia e gás".

Uma parceria em que todos ficam a ganhar 

Outro dos agricultores locais que fornece toneladas de estrume é Laurent Gentil que trabalha na sua propriedade há 30 anos.

Produtor de leite Laurent Gentil e o seu filho examinam o gado

Diz que está orgulhoso de fazer parte de um projeto colaborativo que ajudará a sua produção agrícola e a agrobiodiversidade das suas terras. 

"Já não temos o problema de precisar de esvaziar rapidamente as fossas de estrume porque é levado para a unidade de biogás", diz Laurent Gentil. 

Apoiar a agricultura sustentável neste projeto ecológico é bom para os agricultores, para o ambiente e para manter pura a fonte de água Henniez. Também aproxima a comunidade de uma maneira que beneficia a todos. 

"Não foi fácil no início", segundo Michel Marchuard, Responsável pela Sustentabilidade da Henniez. 

"Tivemos de conquistar a confiança dos agricultores e convencê-los de que não iríamos prejudicar a sua subsistência. Mas agora é uma grande parceria, uma parceria em que todos ficam a ganhar."