Indicadores de Desempenho

Seguem-se os indicadores de desempenho chave utilizados pela Nestlé para avaliar o seu desempenho na Criação de Valor Partilhado através de uma gestão eficiente dos recursos hídricos. Poderá estar igualmente interessado em consultar 2008 Consolidated Environmental Performance Indicators.

Água

2007

2008

Referência GRI

Captação total de água (milhões de m3)

157

147

EN8

Água poupada (por ton de produto) ao longo de 10 anos

59%

58%

n/d

Descarga total de água (milhões de m3)

101

96

EN21

Qualidade da água descarregada (média mg COD/L)

62

95

EN21

 

Gestão e conservação de Água: a abordagem da Nestlé tem como ponto de partida uma boa gestão da água nas nossas próprias operações. Alcançámos os nossos objectivos referentes à água para 2008 e reduzimos a captação de água por tonelada de produto em 6% - como parte de uma abordagem a longo prazo que já nos permitiu assistir a uma redução de 58% na captação da água por tonelada de produto desde 1999. Temos como objectivo alcançar resultados ainda mais positivos na área da eficiência hídrica de, pelo menos, 10% ao longo dos próximos cinco anos. No que diz respeito à água engarrafada, são actualmente necessários 1,76 litros de água para produzir 1 litro, o que significa um decréscimo de 26% desde 1999. Trata-se de um resultado favorável em comparação com outras bebidas engarrafadas. 

O processo que permite estabelecer a pegada ecológica das empresas e dos produtos referente à água é uma ciência complexa que está ainda a dar os primeiros passos. Este ano, em conjunto com parceiros da indústria, de ONG e do meio académico, começámos a participar no desenvolvimento de uma base sólida para essa medição que possa levar a ainda mais melhorias no nosso desempenho. 

A Nestlé já dispõe de centrais de tratamento de água nas suas instalações desde 1929. Actualmente, 68% das nossas fábricas possuem centrais de tratamento de água, o que ultrapassa frequentemente os requisitos das legislações locais, sendo que 98% das fábricas procedem ao tratamento da sua água no local ou através de instalações fora do local. Em concordância com as normas internacionais de qualidade da água, removemos 96% da carga orgânica da água utilizada nos nossos processos de produção antes de a devolvermos ao ambiente. 

A agricultura é responsável por 70% das captações de água potável em todo o mundo e os engenheiros agrónomos da Nestlé estão a apoiar os agricultores na adopção de boas práticas. Em Shuangcheng, na China, estamos a ajudar os produtores lácteos a gerir os efluentes de forma correcta. Na Etiópia, em El Salvador, no México e na Nicarágua, ajudámos os produtores de café a poupar até 90% da água utilizada na lavagem e no descasque dos grãos de café - uma das formas de utilização da água com maior potencial para a ocorrência de desperdícios. 

Este ano, através de parcerias com as comunidades, ajudámos a fornecer acesso a água potável a 22 000 pessoas no Ruanda. Estamos a desenvolver um projecto com a Federação Internacional da Cruz Vermelha/Crescente Vermelho (FICV) na Costa do Marfim para desenvolver a capacidade de resposta da Cruz Vermelha da Costa do Marfim nas áreas da água e do saneamento e fornecer água potável e saneamento a 50 000 pessoas. 

Em 2009 será levado a cabo outro projecto com a FICV, no âmbito da água e do saneamento nas escolas, na faixa de produção de cacau do país. O nosso Presidente, Peter Brabeck-Letmathe, tem vindo a lutar de forma contínua pelas questões da sustentabilidade dos recursos hídricos. Este esforço contribuiu para o facto de a água ter sido objecto de discussão na reunião do Fórum Económico Mundial que teve lugar em Davos, em Janeiro de 2008. A Nestlé tem também vindo a debater-se repetidamente para que seja conferida uma maior prioridade à água e tem chamado a atenção para o grave impacto dos biocombustíveis nos recursos hídricos. Temos igualmente alertado para a necessidade de um maior investimento nas infra-estruturas hídricas ao nível nacional e das cidades, e de uma melhor gestão, governação e atribuição de preços no que diz respeito à água. 

Em Julho de 2007, o nosso Presidente esteve entre os vários membros signatários fundadores do CEO Water Mandate (Mandato dos Líderes Empresariais para a Água) sob a égide do Pacto Global das Nações Unidas, o qual, em Agosto de 2008, tinha sido já assinado por 32 líderes empresariais. 

O Grupo realizou recentemente conferências de trabalho sobre a pegada ecológica da utilização de água e a cadeia de aprovisionamento, e apresentou uma proposta à G8, na qual é feito um apelo para que seja dada uma maior prioridade à gestão dos recursos hídricos.