A vida secreta do sal (e outros ingredientes)

15 Set, 2014
Estas fotografias microscópicas de várias partículas de alimentos foram tiradas por cientistas Nestlé.

Revelam o mundo oculto de produtos utilizados no dia-a-dia. Dê uma vista de olhos:


Os grânulos de Cappuccino responsáveis pela produção da espuma da bebida são partículas de hidratos de carbono e proteínas carregadas com bolhas de gás. Quando entram em contacto com a água quente, libertam o gás, criando um creme leitoso à superfície. (Microscopia eletrónica)

 

 
O que na fotografia parece uma caverna é na verdade o interior de um grão de café verde. As alterações que ocorrem na estrutura interna de um grão de café durante o processo de torrefação podem ter um impacto na sua qualidade em geral. (Microscopia eletrónica)

 

 
Estas estruturas que parecem arranha-céus são cristais de sal a crescer numa superfície de pó. As pequenas estruturas surgem quando os pós que contêm sal “dissociado” (cujas moléculas foram quebradas em partículas mais pequenas) são armazenados em certas condições de humidade. (Microscopia eletrónica)

 

 
Esta imagem de um grão de café congelado revela as suas células e concavidades de “micro gás”. Quando as concavidades entram em contacto com a água quente é criado um creme, formado naturalmente do café e do ar. (Microscopia eletrónica)

 

 
Poderia ser um fragmento de um coral. Na realidade é a estrutura de uma célula de café torrado e moído. (Microscopia eletrónica)

 

 
Uma chuva de meteoritos? Dizemos que é mais que uma tempestade num copo de chá... São partículas de café seco instantâneo com fragmentos de café torrado. (Microscopia eletrónica)

 

 
A extrusão é uma técnica de processamento que ajuda a conferir, a certos alimentos, texturas e formas específicas. Ao examinar a estrutura dos produtos alimentares extrudados, tal como este cereal de pequeno-almoço, conseguimos encontrar formas de melhorar a sua textura. (Tomografia raio-X)

 

 
Não são formas de vida de uma galáxia distante. Provavelmente poderá encontrar algo semelhante no seu congelador. Os nossos cientistas utilizam a ‘crio-microscopia’ para compreender o efeito das mudanças de temperatura na qualidade e estabilidade do alimento congelado. Esta imagem revela o aspeto de uma solução de açúcar rapidamente congelada a -100ºC. (Microscopia de luz polarizada)

 

 
Pode parecer um ser vivo de águas profundas, mas na realidade é uma folha de chá verde. O chá é rico em antioxidantes denominados de Polifenóis, que na imagem aparecem como espaços verdes. Os círculos mais escuros são estômatos – pequenas aberturas ou poros que ajudam as plantas a controlar as trocas gasosas. (Microscopia de fluorescencia)

 

 
Não são pedras preciosas. São cristais de gordura e péptidos. Os cristais são formados quando as gorduras são arrefecidas de uma temperatura elevada até abaixo do ponto de fusão. (Microscopia de luz polarizada)

 

 
Estes flocos brilhantes são partículas de sucralose (um adoçante não-calórico) e de café torrado e moído. (Microscopia de fluorescencia)

 

 
Esta imagem, semelhante a um cenário lunar, é uma aproximação extrema a uma partícula de uma fórmula infantil. As partículas de pó podem parecer todas iguais a olho nu. A microscopia torna possível visualizar as diferenças nas suas superfícies, que se desenvolvem dependendo do processo de secagem ou de armazenamento que sofrem. (Microscopia eletrónica)

 

 
É um puzzle. Como parar a formação de cristais num gelado? Os cristais que se formam num gelado podem criar uma textura desagradável. Usamos a microscopia para identificar que receitas de gelados, técnicas de processamento e condições de armazenamento aumentam a probabilidade de formar este tipo de cristais. (Microscopia de luz polarizada de cristais de lactose e sacarose)