Resultados primeiro semestre de 2015, Nestlé S.A.

13 Ago, 2015

Nestlé com 4,5% de crescimento orgânico confirma perspetivas do ano



• Vendas de CHF 42,8 mil milhões, crescimento orgânico de 4,5% e 1,7% de crescimento real interno.
• Margem de lucro operacional até 20 pontos base para 15% a câmbios constantes.
• Ganhos no lucro por ação de até 7,3% a câmbios constantes.
• Outlook 2015: o nosso objetivo é alcançar um crescimento orgânico de cerca de 5%, com aperfeiçoamento das margens, no lucro por ação a taxas de câmbio constantes e na eficiência de capital.

Paul Bulcke, CEO da Nestlé: "Os resultados do primeiro semestre ficaram em linha com as nossas expectativas, com uma sólida base em todas as categorias e geografias, mesmo em circunstâncias difíceis, e consistentes com o nosso forte desempenho ao longo do tempo. Estes resultados refletem a relevância e a força da nossa estratégia de Nutrição, Saúde e Bem-Estar, mas também a nossa disciplina na execução. Os nossos investimentos nas novas plataformas de crescimento Nestlé Health Science e Nestlé Skin Health estão a conduzir e a complementar uma boa dinâmica no nosso negócio de alimentação e bebidas. Isto permite-nos confirmar as perspetivas para o ano inteiro”.

Os resultados do Grupo

No primeiro semestre de 2015 o crescimento orgânico foi de 4,5%, composto por 1,7% de crescimento real de 2,8% de preços. As vendas totais de CHF 42,8 mil milhões foram impactadas pela taxa de cambial (-5,8%). As aquisições e os desinvestimentos líquidos contribuíram 1% para as vendas.

• O crescimento foi generalizado a todas as categorias e geografias.
• O crescimento orgânico nos mercados desenvolvidos acelerou para 2,2%, enquanto nos mercados emergentes atingimos um forte crescimento orgânico de 7,3%.
• O crescimento orgânico foi de 6,6% nas Américas (AMS), 3,4% na Europa, Médio Oriente e Norte da África (EMENA) e de 2,2% na Ásia, Oceânia e África Subsaariana (AOA). O crescimento real foi de 1,7% na Zona AMS, 2,4% na Zona EMENA e 0,6% na Zona AOA.
• Os esforços contínuos para aumentar a eficiência de custos e a consolidação da Nestlé Skin Health, levaram a uma queda de 160 pontos base no custo dos produtos vendidos. O efeito de imputação de custos foi neutro.
• As reduções de custos foram parcialmente reinvestidas num aumento do apoio ao marketing dirigido ao consumidor. A margem de lucro operacional de negociação subiu 20 pontos base a câmbios constantes. O lucro operacional de negociação foi de CHF 6,4 mil milhões, com margem de 15%.
• O lucro líquido foi de CHF 4,5 mil milhões, com um ganho por ação de CHF 1,43. Um aumento de 7,3% nos ganhos por ação a câmbios constantes.
• O fluxo de caixa operacional do grupo foi de CHF 3,9 mil milhões, refletindo a valorização do franco suíço, receita de dividendos mais baixos por parte da L'Oréal, devido à nossa participação reduzida e ao calendário de pagamentos de impostos.

Zona EMENA

Vendas de CHF 7,9 mil milhões, 3,8% de crescimento orgânico, 2% de crescimento real interno; 16,2% de margem de lucro operacional, mais 80 pontos base.

• Depois de um forte início de ano, as diferentes geografias da Zona continuaram a crescer, apesar do ambiente volátil e desafiador. O crescimento sólido foi de base alargada com os contributos de Nescafé Dolce Gusto, café solúvel, Petcare e Pizza congelada. O crescimento orgânico foi também impulsionado por aumentos de preços no café e algumas pressões inflacionistas na Rússia, Ucrânia e Turquia, compensando o ambiente deflacionário na Europa Ocidental.

• A Inovação e a “premiumisação” continuaram a impulsionar o crescimento na Europa Ocidental. Single-serve na comida de gato, Nescafé Dolce Gusto e Pizza congelada foram os principais destaques. França, Benelux e países nórdicos estiveram bem em ambiente deflacionário. A confiança dos consumidores na Europa do Sul foi afetada, com o impacto da Grécia.

• O crescimento na Europa Oriental foi forte, impulsionado por Petcare e sistemas, por café solúvel e por chocolate, com destaque para KitKat. A gestão cuidadosa dos preços na Rússia protegeu a nossa competitividade num ambiente inflacionário. O nosso negócio na Ucrânia continuou a crescer, apesar da situação económica difícil. Tivemos também performances sólidas na região do Adriático, na Bulgária e na Hungria.

• A região do Médio Oriente e Norte de África entregaram um crescimento sólido com café solúvel e confeitaria nos destaques. Turquia teve um forte crescimento e registamos solidas performances em todo o Médio Oriente, compensando os desafios no Iraque e Iêmen.

• A melhoria na margem de negociação do lucro operacional da Zona foi impulsionada pelo mix de produtos e pela menor imputação de custos de produção que permitiram um maior investimento em suporte de marketing dirigido ao consumidor.

Consulte o Comunicado de Imprensa integral em www.nestle.com