Nestlé S.A. anuncia resultados financeiros do 1º Trimestre 2016

14 Abr, 2016

 

  • Vendas de CHF 20,9 mil milhões, com um impacto cambial de -2,8%.
  • Crescimento orgânico de 3,9% e 3% de crescimento real interno, 0,9% de pricing.
  • Crescimento orgânico de 2,5% nos mercados desenvolvidos e de 5,6% nos mercados em desenvolvimento.
  • Perspetivas para 2016 confirmadas: crescimento orgânico em linha com o ano 2015, com melhoria das margens e lucros por ação a taxas de câmbio constantes e com eficiência de capital.

Paul Bulcke, CEO da Nestlé: "Como antecipado, o primeiro trimestre manteve a linha positiva de crescimento real interno, com menor impacto de preço. Ganhámos quota de mercado na maioria das nossas categorias e negócios. As performances mais fortes registaram-se na Europa, no Sudoeste Asiático e em África, assim como nos negócios Nescafé, Nespresso e Petcare. O nosso negócio de alimentação e congelados no mercado norte-americano também evoluiu bem. As tendências verificadas nos últimos trimestres mostram a relevância dos nossos investimentos e permitem confirmar as perspetivas para o ano”.

Os resultados do Grupo

Vendas:

  • As vendas totais foram de CHF 20,9 mil milhões, com um impacto cambial de -2,8%. O resultado líquido das aquisições e alienações tiveram um impacto de 1% nas vendas.
  • Crescimento orgânico da Nestlé no período foi de 3,9%, composto por 3% de crescimento real interno e de 0,9% de pricing.
  • O Crescimento orgânico de base ampla foi transversal a todas as geografias e categorias

              - 5,5% nas Américas (AMS)

              - 3% na Europa, Médio Oriente e Norte de África (EMENA)

              - 2,3% na Asia, Oceânia e África Subsaariana (AOA)

  • O Crescimento real interno foi também de base ampla

              - 3,5% na Zona AMS

              - 3% na Zona EMENA

              - 2,4% na Zona AOA

  • Registou-se uma força contínua nos mercados desenvolvidos, com um crescimento orgânico de 2,5% (crescimento real interno de 2,9%) e de 5,6% nos mercados em desenvolvimento (crescimento real interno de 3,2%).
  • Como antecipado, o pricing foi baixo, como resultado da deflação registada nos mercados desenvolvidos e dos preços das soft commodities.

Zona EMENA

Vendas de CHF 4 mil milhões, 3,2% de crescimento orgânico, 3,1% de crescimento real interno.

  • O bom crescimento real interno levou a um ganho de quota de mercado em toda a Zona. A maioria das categorias registou um bom crescimento, enquanto, de uma forma geral, o pricing não teve impacto.
  • A Europa Ocidental entregou um sólido crescimento num ambiente deflacionário, com a Alemanha, o Reino Unido, a Espanha e a Itália a serem os motores de crescimento. Nescafé, Petcare, pizzas congeladas e gelados tiveram uma boa performance.
  • Na Europa Central e de Leste, a Rússia entregou um crescimento orgânico e um crescimento real interno de dois dígitos. Nescafé, chocolate e Petcare foram os principais contribuidores para este resultado.
  • A instabilidade na grande maioria da região do Médio Oriente e do Norte de África continuou a afetar os nossos negócios, apesar de a Turquia ter registado um crescimento de dois dígitos, com destaque para o crescimento de Nescafé.

 

Consulte aqui o Comunicado de Imprensa integral (Inglês - pdf, 200 Kb).