Paul Bulcke, CEO, anuncia resultados da Nestlé S.A. 2012

Fev 14, 2013
• Vendas de CHF 92.2 mil milhões, aumento de CHF 8.6 mil milhões,+10.2%
• 5.9% crescimento orgânico, 3,1% crescimento real interno
• Proveitos operacionais com aumento de 11.8% sobem para CHF 14.0 mil milhões, margem de 15.2%; +20 pontos base
• Benefício recorrente por ação (EPS) sobe 12.2% para CHF 3.33
• Proposta de dividendos aumenta para CHF 2.05 por ação
• Aumento do cash flow de CHF 5.6 mil milhões para CHF 15.8 mil milhões
• Perspetivas 2013: crescimento orgânico entre os 5% e 6%, melhoria da margem de lucro operacional combinada com uma melhoria da margem a câmbios constantes

Paul Bulcke, CEO da Nestlé, S.A: “Em 2012 continuámos com o nosso compromisso de alcançar uma evolução positiva nas vendas e nos resultados sobre o crescimento, alcançado de forma consistente ao longo dos anos anteriores. Todos os negócios, tanto nos mercados desenvolvidos como nos emergentes, contribuíram para tal. O focus na Nutrição, Saúde e Bem-Estar permitiu-nos trazer benefícios para os Consumidores, uma grande diferenciação de marca no mercado e aumentar o valor para os nossos acionistas. Com investimentos que fizemos no ano passado, lançamos bases sólidas para o futuro. Criámos valor por detrás das marcas. Fortalecemos a nossa rede global de I&D com novas instalações na Índia e China. Fizemos progressos na Nestlé Health Science e adquirimos a Wyeth Nutrition. Investimos em responsabilidade e sustentabilidade, expandindo a nossa presença em termos de fábricas sem esquecer a redução do impacte ambiental do nosso negócio. Apesar dos grandes desafios que 2013 nos trará, esperamos atingir um crescimento orgânico entre os 5% e 6% e melhorar a margem de lucro operacional, combinada com uma melhoria da margem a câmbios constantes.
 

Vevey, 14 de Fevereiro de 2013 – Em 2012 a Nestlé, SA registou um aumento de vendas de CHF 8,6 mil milhões, ou 10,2%, para CHF 92,2 mil milhões. O crescimento orgânico foi de 5,9%, com base no forte crescimento dos últimos anos, um valor composto por 3,1% de crescimento real interno e por preços de 2,8%. Depois de anos de impacto negativo, a taxa de câmbio adicionou 1,7% às vendas e as aquisições líquidas acrescentaram mais 2,6%.


A Zona Europa registou vendas de CHF 15,4 mil milhões, 1,8% de crescimento orgânico, 1,1% de crescimento real interno e 15,7% de margem de lucro operacional, acrescido de 10 pontos base.

A Zona cresceu na Europa Ocidental e Europa Central / Oriental, demonstrando que mesmo em ambiente de negociação difícil, existem oportunidades para alcançar um crescimento acima do mercado e com ganhos de participação.


Conheça o comunicado de imprensa na íntegra aqui.