Nestlé realiza estudo em grande escala sobre as dietas das crianças na China

29 Mai, 2015


A Nestlé identificou, através de um estudo, um desequilíbrio nutricional relevante nas crianças das zonas urbanas da China, devido à pouca variedade das suas dietas. Os resultados do estudo Maternal and Infant Nutrition and Growth (MING) da Nestlé irão ser apresentados no Congresso Asiático de Nutrição 2015. Este evento procura reforçar a colaboração entre os países Asiáticos e especialistas internacionais, como forma de potenciar o conhecimento em alimentação e nutrição.

Neste estudo foram avaliadas dietas de mais de 1400 crianças que estão nos primeiros anos de vida, de oito cidades diferentes, como forma a compreender os seus padrões de alimentação e fontes de nutrição. Foi o primeiro estudo em grande escala deste género na China.

Concluiu-se que as crianças não se estão a alimentar em quantidade suficiente de citrinos nem de vegetais de folhas verdes. Verifica-se uma presença excessiva de vitamina A e sódio em detrimento de um reduzido consumo de vitamina B6, ácido fólico, ferro e selénio.

O estudo sugere que a fortificação de alimentos consumidos pelas crianças chinesas, como o leite, poderá ajudar a garantir o consumo de micronutrientes que não possuem uma presença na sua dieta.

Um dos 38 compromissos da Nestlé para com a Sociedade é atingir 200 mil milhões de porções de alimentos e bebidas fortificadas, servidas anualmente em todo o mundo, até ao ano de 2016.

O estudo MING faz parte do compromisso da Nestlé em ser líder no conhecimento sobre nutrição infantil, aprofundando a compreensão sobre a nutrição das crianças, de forma a desenvolver produtos e serviços adequados.

Leia mais acerca do estudo MING.