Nestlé apoia a iniciativa da ONU: "Educação em primeiro lugar"

1 Out, 2012

A Nestlé assumiu o compromisso de apoiar uma nova iniciativa das Nações Unidas para aumentar a educação de crianças e jovens em todo o mundo. A empresa definiu pormenorizadamente o trabalho que está a desenvolver nesta área, na recente Assembleia Geral da ONU 2012, em Nova Iorque.

Este compromisso da Nestlé faz parte dos seus programas de Criação de Valor Partilhado em comunidades por todo o globo.

A ONU está a trabalhar com governos, empresários e sociedade civil para colocar a educação no topo da agenda global enquanto parte do plano "Educação em primeiro lugar".

Compromisso com as crianças

Nestlé sublinhou, neste evento, a forma como atividades e programas relacionados com os seus negócios se estão a intensificar para se concentrarem em fomentar a educação de crianças e adolescentes.

No âmbito doPrograma da Nestlé Healthy Kids, a empresa compromete-se a trabalhar com parceiros de diferentes países para ensinar, a mais de seis milhões de crianças em 60 países, o valor de uma boa nutrição e atividade física. Até 2016, a Nestlé tem como objetivo estender este programa a 70 países.

Atualmente, a Nestlé já está a trabalhar com a International Association of Athletics Federations (IAAF) por cinco anos e está também a apoiar EPODE International Network para reduzir a prevalência de obesidade infantil.

Na Costa do Marfim, a Nestlé fez uma parceria com a World Cocoa Foundation (WCF) para se focalizar na formação de professores, na literacia dos adultos e nos programas da comunidade sobre a consciencialização do trabalho infantil.

A Nestlé e o WCF também visam construir e recuperar, em 4 anos, cerca de 40 escolas que terão um impacto direto em mais de 10.000 crianças. Em colaboração com a Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV), a Nestlé está a ajudar a melhorar as condições de água e saneamento para alunos, professores e suas comunidades, na Costa do Marfim.

Até o final de 2014, este programa pretende alcançar 55 escolas e fornecer 65 pontos com água potável e saneamento, abrangendo cerca de 53.000 pessoas nas áreas de cultivo de cacau do país.

Leia a versão inglesa aqui.